Conheça as novas tendências tecnológicas que podem revolucionar a área da saúde

A saúde é uma das áreas mais beneficiadas com os avanços tecnológicos. Desde os microscópios para detecção de vírus, bactérias e outros micro-organismos, até aparelhos de ressonância magnética, que diagnosticam com precisão tumores e outras patologias, o ser humano tem vivido mais e com melhor qualidade de vida por conta dessas inovações. E há muitas tendências tecnológicas em andamento para melhorar ainda mais esse segmento, que vão desde aplicativos para que os pacientes previnam e monitorem doenças até grandes projetos de inteligência artificial para hospitais, por exemplo.

8 tendências tecnológicas para a saúde

Vamos pontuar aqui 8 tendências tecnológicas para a área da saúde que já estão sendo utilizadas ou que estão em fase de implantação:

1. Sistemas de gestão em nuvem

Um sistema de gestão em nuvem é muito mais acessível e funcional que um ERP local. Isso porque clínicas, hospitais e outros estabelecimentos pagam pelo que realmente usam, seja em quantidade de usuários ou dados armazenados. Além disso, é possível aumentar ou diminuir a capacidade do sistema (escalabilidade), ação que demanda bastante recursos em um sistema local. 

Como o armazenamento do sistema se dá na nuvem, é possível acessar dados a distância. Um médico, por exemplo, pode acessar dados de pacientes de qualquer lugar, a qualquer momento.

2. RFID

O RFID, ou identificação por radiofrequência, é um método de identificação automática por meio de sinais de rádio. Na área da saúde, essa tecnologia pode atuar em diversas frentes, como gestão de materiais, controle de acesso, controle de temperatura e umidade e localização em tempo real, tanto de pessoas como ativos.

3. Data Mining

O Data Mining (ou mineração de dados) trata da escolha e análise de inúmeros dados disponíveis. Isso permite que profissionais da saúde definam corretamente o diagnóstico de um paciente e optem por procedimentos, processos clínicos e opções terapêuticas, entre outros, com mais assertividade, buscando dados armazenados, como histórico de avaliação clínica e resultados laboratoriais.

4. Telemedicina

A telemedicina já é uma realidade, e inclusive está sendo de extrema importância nesta pandemia. Trata-se de uma série de ferramentas tecnológicas para que médicos consigam realizar seu trabalho a distância da melhor forma, informando resultados laboratoriais, dando assistência a pacientes, desenvolvendo bancos de dados epidemiológicos, discutindo casos clínicos, e até mesmo realizando cirurgias e exames em tempo real, com o auxílio de robôs.

Todas as ferramentas ligadas à telemedicina auxiliam a promover a saúde, principalmente em locais remotos, além de otimizar o tempo tanto dos profissionais quanto dos pacientes. 

5. Internet das Coisas

A IoT – Internet of Things – ou, em português, Internet das Coisas, é uma das tendências tecnológicas mais promissoras na área da saúde. Trata-se de interligar coisas a outras coisas, por meio da internet. Dessa forma, os pacientes podem utilizar wearables (como pulseiras) para fornecer dados a seus médicos, como batimentos cardíacos, pressão arterial, oxigenação, glicemia, entre muitos outros indicadores de saúde.

É como se as pessoas estivessem realizando um check-up diário e repassando todas as informações ao seu prontuário digital. Para clínicas e hospitais, o uso da IoT para monitorar pacientes é um grande avanço, permitindo mais assertividade tanto na prevenção quanto no tratamento de doenças.

6. Beacons

Os beacons são geolocalizadores de dispositivos eletrônicos. Em um hospital, eles podem otimizar o transporte intra-hospitalar de pacientes que precisam ser levados de sessão a sessão (da sala de exames para o quarto, do quarto para a ala cirúrgica, etc.). Assim, profissionais, como médicos e enfermeiros, podem ser localizados dentro das estruturas e enviados para locais próximos onde ações sejam requisitadas.

Os beacons otimizam o trabalho dos profissionais e evitam que pacientes passem muito tempo esperando por transporte, aumentando a produtividade geral e possibilitando um melhor planejamento de atividades. 

7. Reconhecimento facial

A tecnologia de reconhecimento facial pode agilizar o atendimento em estabelecimentos de saúde, otimizando o tempo de espera e burocracias envolvidas em consultas, internações hospitalares, exames, etc.  Além disso, e ainda mais importante, o reconhecimento facial impede a ocorrência de fraudes, principalmente relacionadas a convênios de saúde.

8. Impressão 3D

Além de produzir equipamentos, as impressoras 3D já estão testando a produção de órgãos humanos para transplantes, entre outros contextos. Não há dúvidas de que essa seja uma das maiores tendências tecnológicas na saúde.

Clínicas, hospitais e outros estabelecimentos de saúde devem estar sempre atentos a essas tendências tecnológicas, proporcionando a melhoria da qualidade de vida e da satisfação de seus clientes, obtendo, assim, vantagem competitiva no mercado.

Quer conhecer mais sobre o Vigix, nosso sistema em nuvem de gestão de documentos? Clique aqui! Para saber mais sobre nosso ERP, clique aqui!

Outros posts que você também pode gostar...