MASP: como ferramentas podem auxiliar na aplicação do método?

Já abordamos aqui no blog, em uma série de artigos, o que é e como funciona o ciclo PDCA, um mecanismo estratégico para a criação de projetos de resolução de problemas no dia a dia de uma empresa, com foco na melhoria contínua. Em um primeiro post, explicamos o ciclo PDCA na área da saúde. No segundo, desenvolvemos um pouco mais as duas primeiras etapas do ciclo, o Plan e o Do, finalizando com um terceiro artigo para explicar as etapas Check e Act. No post de hoje, vamos abordar a metodologia MASP (Método de Análise e Solução de Problemas), que utiliza o ciclo PDCA para resolver problemas mais complexos, por meio de oito etapas.

 

Relembrando o ciclo PDCA

Para contextualizar, vamos retomar (resumidamente) as etapas do ciclo PDCA.

Etapa Plan – Planejar

Nesta fase, são estabelecidos os objetivos e as metas do ciclo, definindo o problema que será resolvido.

Etapa Do – Fazer

Essa é a hora de executar as ações traçadas no planejamento, verificando atentamente os passos estipulados. Caso algo saia errado, é preciso retornar à fase anterior para analisar os motivos da falha e reelaborar o planejamento. Caso contrário, passa-se para a fase seguinte.

Etapa Check – Checar

 Ao mesmo tempo em que o plano de ação é implementado, é preciso checar a sua execução, realizando um monitoramento sistemático das atividades executadas e comparando-as com as atividades planejadas. 

Etapa Act – Agir

 Essa é a fase em que, se todas as metas tiverem sido atingidas, adota-se o PDCA aplicado como padrão. Caso contrário, reinicia-se todo o processo.

As oito etapas do MASP e ferramentas que podem ser utilizadas

O ciclo PDCA foi feito para sanar problemas mais simples, enquanto o MASP aborda questões mais complexas, a fim de aprimorar produtos e serviços. O MASP também nasceu na gestão da qualidade, visando detectar e corrigir não-conformidades em processos, seja na indústria, varejo ou serviço.

Assim, as ferramentas MASP são desenroladas dentro de cada etapa do PDCA, da seguinte forma:

Plan

     1. Identificação do problema

A primeira etapa do MASP identifica com exatidão qual é o problema existente e é preciso detalhá-lo da melhor forma possível.  Depois, é necessário definir metas, também bem detalhadas, e indicadores que possam ajudar a alcançar o objetivo em um determinado período estipulado.

     2. Observação

Este é o momento de observar o problema, coletando o maior número de informações possíveis sobre ele, com o objetivo de ajudar a solucioná-lo. Algumas ferramentas MASP que auxiliam nessa coleta de dados são:

  • Folha de verificação
  • Diagrama de Pareto
  • Brainstorming
  • Histogramas
  • Gráficos de controle

     3. Análise

Agora, é preciso analisar as informações coletadas nas etapas anteriores. É enfim o grande momento de se descobrir as causas do problema, o fator mais importante para se criarem ações para solucioná-lo. Ferramentas MASP que podem contribuir nessa etapa são:

  • Diagrama de causa e efeito
  • Brainstorming
  • Gráfico de Pareto 

     4. Plano de ação

Este é o momento de planejar as ações, com foco não no problema em si, mas em suas causas. É preciso entender a causa (e por isso a etapa de análise) e especificar ações que ajam direto nela. 

Do

     5. Ação

É a hora de executar o planejamento, levando em conta o preparo de todas as pessoas envolvidas para isso. Se as etapas anteriores tiverem sido bem-sucedidas, não haverá maiores problemas nesse momento – e por isso a importância de tantos detalhes nas fases prévias. 

Check

     6. Verificação

Nessa etapa do MASP, verifica-se se o plano de ação e a própria ação foram concretizados da maneira planejada. É preciso checar prazos, custos estimados, entre outros resultados, anotando sempre todas as informações coletadas. 

Act

     7. Padronização

Nesse momento, é preciso verificar se as ações tomadas trouxeram benefícios (e quais) para a empresa. Se a resposta for sim, é importante padronizar essas ações e as transformar em novos processos. Algumas ferramentas MASP que podem auxiliar nessa hora são:

  • Fluxogramas
  • POP (Procedimento Operacional Padrão)

     8. Conclusão

Após todos os processos realizados, chegou a etapa final. Agora, é importante avaliar as experiências obtidas durante todas as etapas e arquivar os documentos utilizados nessa solução, para que eles possam ser úteis na resolução de questões semelhantes. 

Todas essas etapas do MASP, dentro do Ciclo PDCA, auxiliam na resolução de problemas e manutenção da melhoria contínua de uma empresa, que deve ser seu objetivo sempre. Se quiser saber mais sobre assuntos relacionados à qualidade, leia nosso blog e assine nossa newsletter!

Outros posts que você também pode gostar...