MASP e PDCA: quais são suas diferenças?

MASP e PDCA são duas metodologias conceituadas na gestão da qualidade, e ambas têm o objetivo de fomentar a melhoria contínua nas organizações. A sigla MASP quer dizer Metodologia de Análise e Solução de Problemas. Já PDCA vem das palavras em inglês Plan (Planejar), Do (Fazer), Check (Checar) e Act (Agir). 

Tanto o MASP como o PDCA atuam de forma a  identificar problemas ou não-conformidades em processos dentros das empresas, e podem ser usados no desenvolvimento de produtos, na melhoria de processo, na otimização de estratégias, entre outras situações. 

Mas então o que difere MASP e PDCA?

A diferença principal entre MASP e PDCA são as etapas pelas quais as metodologias são realizadas. Abaixo, as 8 etapas do MASP:

      1. Identificação do problema

Nessa etapa, é preciso especificar o exato problema. Parece simples, mas não é. É preciso descrever o problema de forma bem delimitada, para não generalizá-lo demais e assim atuar em causas e consequências que não fazem parte da problemática em si.

      2. Observação

As equipes que atuam naquele processo, junto à liderança, se dirigem ao local da ocorrência do problema. Ali, eles procuram obter o maior número de informações possível sobre ele, como as consequências dele e suas prováveis causas. Algumas ferramentas que podem auxiliar nessa etapa são a folha de verificação, Diagrama de Pareto, brainstorming, histogramas e gráficos de controle.

      3. Análise

Agora, as equipes levantam hipóteses para entender o problema. Além disso, estudam casos de ocorrências parecidas na literatura, estatísticas, relatórios e as informações disponíveis captadas durante o processo de observação. Aqui, pode-se utilizar o brainstorming, a diagrama de causa e efeito e o Gráfico de Pareto. 

      4. Plano de ação

Após identificar as causas do problema e a forma como ele se manifesta, agora é hora de estabelecer que ações serão realizadas para solucioná-lo.

      5. Ação

É a hora de aplicar as ações propostas no plano de ação.

      6. Verificação de resultados

Nessa etapa, são avaliados os resultados obtidos após a implementação das ações. Se os problemas não forem sanados, será necessário reiniciar o processo.

      7. Padronização

Se as ações tiverem tido resultados positivos, elas serão padronizadas, para que sejam aplicadas em eventuais casos similares na empresa. Com base nesses padrões, elaborados por meio de fluxogramas ou POP (procedimento operacional padrão),

podem também ser estipuladas operações preventivas e de melhoria contínua.

      8. Conclusão

A última etapa do MASP serve para que os envolvidos no processo reflitam sobre o ocorrido, analisando a causa do problema, inconsistências na hora de solucioná-lo e possíveis consequências (boas e ruins) das ações implementadas. 

Conheça aqui algumas ferramentas MASP

Agora, as etapas do PDCA:

  1. Plan – Planejar

Nesta fase, são estabelecidos os objetivos e as metas do ciclo, definindo o problema que será resolvido.

      2. Do – Fazer

Essa é a hora de executar as ações traçadas no planejamento, verificando atentamente os passos estipulados. Caso algo saia errado, é preciso retornar à fase anterior para analisar os motivos da falha e reelaborar o planejamento. Caso contrário, passa-se para a fase seguinte.

      3. Check – Checar

Ao mesmo tempo em que o plano de ação é implementado, é preciso checar a sua execução, realizando um monitoramento sistemático das atividades executadas e comparando-as com as atividades planejadas. 

      4. Act – Agir

 Essa é a fase em que, se todas as metas tiverem sido atingidas, adota-se o PDCA aplicado como padrão. Caso contrário, reinicia-se todo o processo.

Saiba qual é a importância da adoção do Ciclo PDCA na área da saúde

MASP e PDCA em conjunto

Atuar com uma metodologia de melhoria contínua não significa deixar outras de lado. Assim, MASP e PDCA podem ser utilizadas em conjunto, utilizando as ferramentas de MASP dentro das etapas do PDCA, da seguinte forma:

Plan

– Identificação 

– Observação

– Análise

– Plano de ação

Do

– Ação

Check

– Verificação

Act

– Padronização

– Conclusão

Considerações finais

As metodologias de melhoria contínua são selecionadas de acordo com as necessidades e objetivos da empresa diante de determinados problemas. Aplicar MASP e PDCA em conjunto, além de outras metodologias, se necessário, possibilita a otimização dos processos internos das empresas e a diminuição de problemas em produtos, serviços, equipamentos e atividades organizacionais. O maior resultado dessas ações conjuntas é a geração de um diferencial competitivo na questão da qualidade, por meio da excelência das rotinas dos processos. 

Outros posts que você também pode gostar...